Alopécia Masculina Androgenética

alopecia and

A alopecia androgenética (AAG) é provavelmente a forma mais comum de perda de cabelo em pacientes do sexo masculino com idade mais avançada.

Na AAG vemos uma miniaturização progressiva do folículo piloso e alteração da dinâmica dos ciclos. Folículos pré-programados no couro cabeludo passam progressivamente da fase de crescimento (anágena) para a fase de repouso (telógena). Em cada passagem pelo ciclo, a duração da fase anágena diminui e a fase telógena aumenta. Uma vez que a duração da fase anágena é o principal determinante do comprimento do cabelo, o comprimento máximo do novo pelo em fase anágena é menor que o de seu predecessor. Eventualmente, a fase anágena é tão curta que o pelo emergente não alcança a superfície da pele, e o único sinal da presença do folículo é um poro. Na AAG a fase de latência entre os ciclos é evidente, levando a uma redução no número de cabelos visíveis no couro cabeludo. A miniaturização que acompanha essas mudanças no ciclo do pelo é global, afetando toda a estrutura folicular: a papila, a matriz e, finalmente, a haste.

A primeira classificação científica da alopecia androgenética com padrão masculino e feminino foi feita em 1951 pelo Inglês pesquisador James Hamilton.

Estudos realizados com vários grupos de pessoas de diferentes raças e idades, determinou que fatores hereditários, endócrinos e o envelhecimento são os responsáveis por causar a alopecia androgenética. Esta conclusão continua válida até hoje.

Classificação Hamilton, modificada por Norwood (1975)
TIPO ITIPO I

Perda de cabelo mínima.

TIPO IITIPO II

Apresenta-se em pequenas áreas falhas na parte lateral da frente da linha capilar. O cabelo começa a cair ligeiramente e a densidade diminui.

TIPO IIITIPO III

A queda de cabelo é acentuada e começa a afetar a coroa da cabeça.

TIPO IVTIPO IV

A perda capilar é visível, com pouco ou nenhum fio de cabelo na parte superior da cabeça.

TIPO VTIPO V

A tira de cabelo que parte da parte superior da cabeça começa a estreitar e perde a densidade, a falta de cabelo é claramente localizada nestas duas zonas.

TIPO VITIPO VI

A área calva na coroa está unida com a parte frontal, criando assim uma ampla zona que continua a crescer.

TIPO VIITIPO VII

Este é o estágio mais avançado da alopecia androgenética, onde apenas uma fina faixa de cabelo que se estende de orelha a orelha permanece na parte de trás da cabeça.

Fontes:

1- Mulinari-Brenne. Alopecia androgenética masculina: uma atualização. Rev. Ciênc. Méd., Campinas, 18(3):153-161, maio/jun., 2009.

2- Hamilton JB. Patterned loss of hair in man: types and incidence. Ann NY Acad Sci. 1951; 53(3):708-28.

3- Norwood OT, Lehr B. Female androgenetic alopecia: a separate entity. Dermatol Surg. 2000; 26(7): 679-82.

4- Norwood OT. Incidence of female androgenetic alopecia (female pattern alopecia). Dermatol Surg. 2001; 27(1):53-4.

5- Endereço eletrônico: http://www.kaloni.com/br/informacion/escala-norwood